RESIDÊNCIA ARTÍSTICA 1.0

A Residência Artística 1.0 tem a duração de dois anos letivos e destina-se a um público interessado no desenvolvimento formal, teórico, técnico e profissional da prática artística. A frequência deste programa pode ser presencial ou online (sem atelier / Cursos e Acompanhamento Tutorial através da plataforma zoom).

O programa do ano I inclui Atelier, Acompanhamento Tutorial, Cursos Teóricos (História da Arte Contemporânea I; Filosofia, Teoria da Arte e Estética Contemporânea I; Mercados da Arte), Cursos Práticos (Laboratório de Investigação e Lugares da Arte) e Cursos Técnicos (Práticas Profissionais para Artistas), bem como, a participação em projetos expositivos coletivos: catálogo anual, exposição anual, exposição online anual, open studio de Inverno e open studio de Verão.

O ano I tem como objetivos o desenvolvimento do processo e trabalho autoral de cada participante e das suas capacidades criticas em relação ao meio artístico contemporâneo local, global e digital.

Na frequência do ano II fomenta-se uma maior autonomia dos artistas residentes, o aprofundamento do seu trabalho autoral, capacidade de organização e o desenvolvimento de valências profissionais que permitam a cada participante compreender o meio artístico e os vários mercados da arte.

O ano II inclui Atelier, Acompanhamento Tutorial, Cursos Teóricos e Práticos (Filosofia, Teoria da Arte e Estética Contemporânea II e Lugares da Arte), e centra-se na realização de um trabalho de investigação teórico-prático, bem como, na conceção e realização de uma exposição coletiva independente.

As disciplinas que compõem o programa da Residência Artística são lecionadas num regime misto, simultaneamente presencial e online (através da plataforma zoom). Na eventualidade de um confinamento, a frequência deste programa será apenas online.

O meio artístico português, à imagem do meio internacional, é um ecossistema composto por vários setores culturais, económicos e financeiros que orbitam à volta da produção artística e se cruzam entre si numa escala global.

Nesta disciplina visitaremos galerias, museus, acervos, ateliers, entre outros espaços culturais. Estas visitas serão orientadas alternadamente pelos professores de Desenho e Pintura, Cerâmica, Mercados da Arte, História da Arte, Filosofia Teoria da Arte e Estética e Laboratório de Investigação.

PROFESSORES Ana Natividade, André Almeida e Sousa, Carlos Ribeiro, Mariana Gomes, Miguel Merúje, Patrícia Sasportes e Pedro Arrifano

Com esta disciplina pretende-se que os alunos conheçam os vários nichos que compõem o meio artístico e o papel de cada agente neste sistema que será abordado do ponto de vista dos mercados da arte. A legitimação e atribuição de valor, a nível artístico, cultural e comercial de uma obra de arte, resulta da sinergia dos vários protagonistas destes setores e é um dos maiores paradoxos da arte contemporânea. 

O mercado da arte é o resultado de um conjunto de situações que envolveram a produção artística e que evoluíram ao longo da história da arte. Em Paris, nos finais do século XIX, os artistas das vanguardas romperam com os cânones tradicionais impostos pela academia e foram apoiados por um conjunto de galeristas, críticos e colecionadores. Em conjunto, lançaram as bases fundamentais para o desenvolvimento de uma nova estética, juízos de valor e um modelo económico que evoluiu ao longo do século XX, propagando-se ao século XXI.

Ao longo da segunda metade do século XX, o meio artístico desenvolveu-se exponencialmente devido ao aumento do número de intervenientes no meio, à crescente profissionalização dos agentes e à evolução dos meios tecnológicos e de comunicação à sua disposição. Os mercados da arte, juntamente com os outros ecossistemas do meio artístico, integraram-se numa indústria internacional, que funciona de forma semelhante a outras indústrias. 

No século XXI, os vários mercados da arte operam numa escala internacional e têm uma presença digital cada vez mais forte. O crescimento especulativo do mercado manteve-se até à crise económica de 2008, apoiado por uma moda cultural explorada pelos media, que resultou na legitimação quase imediata de alguns artistas. Esta dinâmica de crescimento especulativo dos mercados recomeçou em 2010, e foi marcada pela entrada de novos players no mercado, pela generalização do uso da internet e pela adaptação do papel dos vários agentes do meio ao mercado.

Programa
Legitimação e valor artístico, cultural e económico
História dos mercados da arte no séc. XIX e XX
Século XXI o mercado da arte nacional e global
Arte e Direito
Online a revolução tecnológica e o meio artístico
Meio artístico a estrutura, os agentes e o mapa

PROFESSORES Patrícia Sasportes e Patrícia Dias Mendes

Nesta disciplina vamos explorar algumas práticas profissionais essenciais para que os participantes dominem ferramentas e desenvolvam competências que lhes permitam organizar e promover o seu próprio trabalho, nomeadamente, através da aquisição de conhecimento acerca da conservação das próprias obras e a respetiva documentação para a sua comunicação.

Relacionando a prática artística contemporânea com as inovações tecnológicas, veremos como organizar e promover o trabalho autoral a nível local, global e digital.

A frequência da disciplina Práticas Profissionais para Artistas pode ser presencial ou online (através da plataforma zoom).

PROGRAMA

Apresentação do trabalho dos participantes. 13/27 setembro | 3 aulas.
Fotografia Documental de Arte com António Jorge Silva. 4/25 outubro | 4 aulas.
Portfólio seleção de trabalhos, organização dos conteúdos, apresentação escrita e design. 8/29 Novembro | 4 aulas
Site em WordPress alojamento, domínio e template, organização dos conteúdos, construção do site, SEO (search engine optimization). 6 dezembro/21 fevereiro | 9 aulas
Marketing e Comunicação Digital plano de marketing, canais utilizados, SEM (search engine marketing), SEO (search engine optimization), redes sociais e mercado digital. 7 março/18 abril | 7 aulas
Vídeo Documental de Arte com Rodrigo Gomes. 2/30 maio | 5 aulas
Arquivo Físico construção e manutenção. 6/27 maio | 4 aulas
Arquivo Digital construção e manutenção com Rodrigo Gomes. 4/25 julho | 4 aulas

PROFESSORES Patrícia Sasportes, António Jorge Silva e Rodrigo Gomes

Programa teórico-prático onde são explorados temas e práticas artísticas através de exercícios e propostas de trabalho com uma forte componente experimental.

Quais os modelos e influências de que nos servimos e como o fazemos? Qual a relação da escrita com a prática artística e a produção de imagens e objetos?

O programa do Laboratório de Investigação está organizado por 4 módulos temáticos: a Construção de um Mapa Sentimental, o Escritor Selvagem, a Noite como o Dia e os Dias como Noite e Viagem ao Mundo dos Símbolos.

A frequência do Laboratório de Investigação pode ser presencial ou online (através da plataforma zoom).

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA SENTIMENTAL

(…) the map is as it was:
A diagram
Of how the world might look could we
Maintain a lasting,
Perfect distance from what is.

The Map, Mark Strand

Desenhando, escrevendo, compilando o nosso mapa sentimental, proponho que me acompanhem nesta série de sessões-passeio numa deambulação mais ou menos ficcionada a partir de exemplos recolhidos livremente em diversas disciplinas: Retórica; literatura; arte; arquitectura; cinema; etc.
Iremos olhar para eles com atenção. Trata-se de um exercício duplo: seguir um caminho traçado e afastarmo-nos dele, perdermo-nos para nos voltarmos a situar.

Que modelos de pensamento nos podem ajudar neste processo?

O mapa, a rede, a genealogia, a espiral, a constelação?

De que formas organizamos a nossa memória fora de nós? Quem trazemos connosco para o estúdio? Que acontecimentos guardamos e se tornam significativos no nosso trabalho? Como nos defendemos do que não nos é destinado?

PROFESSORA Ana Natividade
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 16 setembro / 25 novembro (11 aulas)

O ESCRITOR SELVAGEM

Porque escrevem tanto os artistas, e em particular os mais significativos? Porque querem fazer experiências com a língua e a escrita. Porque no fundo das palavras
há relações entre imagens e desenhos que são letras. Porque muitas vezes são convidados a ilustrar textos e também lhes apetece fazer.

Há assim uma vasta literatura de artistas que é olhada de soslaio, com desconfiança, porque deriva do prazer e questiona o lado vigilante e burocrático da escrita.
Que fazer com os textos explosivos de Picasso, as brincadeiras marotas de Duchamp, as narrativas descosidas de Max Ernst, as falas em bruto de Dubuffet, os elegantes
aforismos de Braque e as provocações de Picabia?

Este curso teórico-prático propõe a descoberta de um continente literário inconformista e exótico.
Os textos aqui abordados são um convite à prática da escrita, como quem desenha, molda, pinta, fotografa e filma.
De Eurípedes a Warhol, de Leonardo a Batarda, de Rosalba Carriera a Ana Jotta.

PROFESSOR Pedro Proença
HORÁRIO quinta, 17h00/18h30
DATAS 2 dezembro / 24 fevereiro (11 aulas)
FÉRIAS DO NATAL 18 dezembro 2021 / 2 de janeiro 2022

A NOITE COMO O DIA A E OS DIAS COMO NOITE

A frase que dá título a este workshop é uma tradução do título inglês Nights as day, days as night do livro Nuits sans nuit et quelques jours sans jour de Michel Leiris.

A referência surge no ensaio de Lydia Davis Found Material, Syntax, Brevity, and the Beauty of Awkward prose: Forms and Influences IV que nos servirá de fio condutor para trabalhar em algo semelhante ao que Lydia Davis chama de Dream Pieces. Relatos de sonhos.

Como se escreve ou se desenha um sonho? O que torna aborrecido o seu relato? Que qualidades e formas podem dar à nossa experiência acordada a aparência de um sonho?

Iremos ler Adília Lopes, Billy Collins, Mark Strand, Howard Nemerov, Sam Shepard, Lydia Davis, Russel Edson, Thomas Bernhard e Roland Topor .

E iremos trabalhar enquanto dormimos.

PROFESSORA Ana Natividade
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 3 março / 12 maio (10 aulas)
FÉRIAS DA PÁSCOA 13 abril 2022 / 17 abril 2022

VIAGEM AO MUNDO DOS SÍMBOLOS

Nestas aulas está prevista uma viagem ao mundo dos símbolos. Será esse o centro das nossas investigações.

Vamos mergulhar no nosso espaço interior, este curso pretende desenvolver capacidades de centramento e auto-cura através de histórias que se desenrolam a partir de símbolos precisos.

Esta investigação desenvolver-se-á por temas que serão anunciados em cada aula e apoiar-se-á em textos da Literatura, Psicanálise, Ocultismo, Filosofias e Religiões Orientais e Ocidentais, sendo sempre acompanhada de imagens que funcionarão como sinais interpretativos, estimulando a capacidade narrativa, interpretativa e imaginativa.

Esta viagem culminará num livro de símbolos (em jeito de diário de bordo) a ser construído individualmente por cada um dos participantes.

PROFESSORA Francisca Carvalho
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 19 maio / 28 julho (10 aulas)
FERIADO Corpo de Deus quinta, 16 junho 2022

ANO I Mundo Contemporâneo, a Internet e a Globalização

A Estética e a Teoria da arte são disciplinas centrais para as artes e humanidades. Ao abordarem questões filosóficas do mundo contemporâneo sobre uma ampla gama de formas de arte e ao examinarem, entre outros, conceitos como o de experiência estética, o de valor artístico, o de cultura, o de beleza, o de emoção, o de criatividade, o de imaginação, ambas remetem para os fundamentos da nossa humanidade comum. Na esteira de fenómenos mundiais como a descolonização, o neoliberalismo, os processos de globalização e a internet, a História e a Teoria da arte começam a ter novas abordagens no estudo da arte em todo o mundo. Neste primeiro ano esta disciplina irá dedicar-se à temática do Mundo Contemporâneo globalizado, visando oferecer informações valiosas sobre a sociedade atual através da sua combinação única de perspetivas históricas, debates e análises voltadas para o futuro.

A frequência da disciplina Filosofia, Teoria da Arte e Estética Contemporânea pode ser presencial ou online (através da plataforma zoom).

PROGRAMA

A crítica da modernidade: o pós-moderno
A arte e a crise
O Contemporâneo: Jean Francois Lyotard; Giorgio Agamben; Anne Cauquelin
A globalização/localização: Georges Balandier, Zygmunt Bauman e Paul Virilio.
O que distingue a Querela contemporânea das precedentes
Arthur Danto e a “transfiguração do banal”
A desmaterialização da arte
Dessacralização ou libertação da arte

ANO II Mundo Contemporâneo, o real, o virtual e o global

A Arte Contemporânea em particular tem sido considerada uma condição do “global”, já que o mapa do mundo da arte inclui locais antes considerados periféricos para a geografia do cânone histórico da arte. O momento em que se vive encerra múltiplos desafios em metodologias críticas, muitas vezes necessitando de leituras históricas e culturalmente específicas ao negociar paradigmas discursivos do que tem sido um corpo de teoria e crítica da arte engendrado em grande parte pelo mundo ocidental. Assim sendo, e seguindo a linha iniciada no primeiro ano, no segundo ano iremos desenvolver os tópicos anteriormente abordados, a saber: teorias da “era da informação” e da “sociedade em rede”; novas geografias culturais articuladas por meio de tecnologias de informação globais; a Internet como espaço tecnológico de política global, no qual operam questões identitárias; mercados online emergentes considerados da perspetiva do produtor e consumidor.

PROGRAMA

A questão dos critérios estéticos
O desafio da estética
“A de-definição da arte”: Harold Rosenberg
O papel da democratização da cultura
Como Julgar a qualidade de uma Obra? Nelson Goodman Arthur Danto Immanuel Kant
“O Complot da Arte” de Jean Braudillard, 1996
“A Arte em Estado Gasoso” de Yves Michaud, 2007
O absurdo existencial pulp
Soluções para a decadência dos critérios estéticos

PROFESSOR Pedro Miguel Arrifano

O curso História da Arte Contemporânea: o Ano Zero Contínuo visa expandir o campo de estudos para outras perspetivas que se impõe pela sua força e representação. Para além de outros quadrantes geográficos que ficam fora dos estudos clássicos da arte, também os meios e ferramentas artísticas serão diversos, desde o graffiti à fotografia enquanto arte. Momentos definidores para a arte da atualidade vão servir de base a explorarmos aquilo que é o presente, recorrendo a uma experiência direta com o mercado de galerias e o seu funcionamento, bem como o papel de novos agentes artísticos que medeiam o que é apresentado à audiência. Depois das bases dos dois primeiros anos de História da Arte, estaremos agora melhor equipados para interagir com as obras mais desafiantes do ponto de vista conceptual, bem como receber discursos fora da linha clássica e que procuram responder a nossa necessidade de revisitar o passado com um novo olhar.

A frequência da disciplina História da Arte Contemporânea: o Ano Zero Contínuo pode ser presencial ou online (através da plataforma zoom).

PROGRAMA

Periferias e Outras Perspetivas
O Corpo nas Vanguardas – o Todo, o Fragmento e Formas Disformes
Fotografia como Arte
O Caso Singular da Mulher Reclinada – Pose e Poética do corpo
Arte Portuguesa e o Modernismo Português
O Sistema da Black Mountain School
O Zero — Tradução e Prática
Arte no Feminino
Arte e Arquitetura
Séries e Repetições
Graffiti e Street Art
Nova Iorque vs Los Angeles
O Que é a Curadoria?
Funcionamento de uma Galeria de Arte Contemporânea
Arte Digital

PROFESSOR Miguel Merúje

ANA NATIVIDADE
. Nota biográfica Lisboa, 1971. Arquitecta (FAUTL, 1997). Concluiu Mestrado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea (parte curricular), na FLUL, e participou como bolseira no programa LITEVA, Literary Text in the Visual Age, na Faculty of Arts, University College Groningen, Holanda. Foi Docente de Literatura Portuguesa na Università degli Studi di Roma Tor Vergata. Estudou Gravura com João Pedro Cochofel na Galeria Diferença; Desenho e Pintura na SNBA, no Ar.Co e na MArt. Expõe regularmente desde 2013. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Responsável pelo departamento de Gravura. Leciona Laboratório de Investigação, A Noite como o Dia e os Dias como Noite,  A Construção de um Mapa Sentimental Lugares da Arte.

ANDRÉ ALMEIDA E SOUSA
. Nota biográfica São Miguel, Açores. 1974. Gerrit Rietveld Academie de Amesterdão, 1998; Curso Avançado, ar.co, Lisboa, 2001. Expõe regularmente desde 2001. Está representado, entre outras: coleção Ariane de Rothschild, Governo Regional dos Açores, Fundação Calouste Gulbenkian. Fundou a Base Escola de Arte em 2021.
. Função Direção e Coordenação pedagógica; Leciona Academia de Desenho e Pintura, Curso de Desenho e PinturaMini Cursos de Desenho e Pintura e Lugares da Arte. Tutor nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

ANTÓNIO JORGE SILVA
. Nota biográfica Leiria, 1965. António Jorge Silva vive e trabalha em Lisboa. Tem o curso avançado de Fotografia do Ar.Co. Profissionalmente, faz fotografia documental de arte, para museus, galerias e artistas. Atelier Museu Júlio Pomar, Culturgest, Fundação Carmona e Costa, Giefarte, Casa de Cerca, Cordoaria Nacional, MAAT, Museu de Escultura Contemporânea de Santo Tirso, Fundação Eugénio de Almeida, MAAt, são algumas das instituições com que tem colaborado. Na sua prática de autor participou em várias exposições, sendo a mais recente “Lugares de Sophia” com Pedro Tropa e Duarte Belo, no âmbito do centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen.
. Função Leciona  Fotografia Documental de Arte e Práticas Profissionais para Artistas.

FRANCISCA CARVALHO
. Nota biográfica Coimbra,1981. Vive e trabalha em Lisboa. Curso Avançado de Artes Plásticas no Ar.Co, de Filosofia na FCSH da Universidade Nova de Lisboa, mestrado em Artes Visuais na Maryland Institute College of Arts ao abrigo da bolsa Fundação Carmona e Costa/Fulbright e de Artes Visuais do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística. Expõe regularmente desde 2005. Tem desenvolvido o seu trabalho nas áreas de desenho e pintura. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Leciona Laboratório de Investigação, Viagem ao Mundo dos Símbolos e Lugares da Arte.

MARIANA GOMES
. Nota biográfica Faro, 1983. Formada em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, expõe regularmente desde 2011. O trabalho de Mariana Gomes encontra-se representado em várias coleções privadas e públicas como a coleção de Arte Contemporânea da Fundação EDP, a coleção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian, Fundação Carmona e Costa e coleção PLMJ. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Leciona Academia de Desenho e Pintura, Curso de Desenho e PinturaMini Cursos de Desenho e Pintura e Lugares da Arte. Tutora nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

MIGUEL MERUJE
. Nota biográfica Completou um doutoramento Europeu em História de Arte com uma tese sobre o silêncio e o vazio. Investigador externo na Université Paris-Sorbonne (Paris IV), completou um MA no Sotheby’s Institute London/University of Manchester com uma dissertação sobre a Bauhaus e graus da University of the Arts London.
Tendo feito parte do departamento de educação da Tate Modern/Tate Britain, mantém uma participação regular em diversas disciplinas académicas e criativas, colaborando com museus, feiras e galerias globais como o Victoria & Albert Museum, Saatchi Gallery, Frieze Art Fair/Frieze Masters e revistas como Wallpaper e Arkitip. É membro integrado do grupo de investigação CASt (Contemporary Art Studies) do Instituto de História da Arte – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa.
. Função Leciona História da Arte Clássica: O Tempo da PinturaHistória da Arte Moderna: A Época das VanguardasHistória da Arte Contemporânea: o Ano Zero Contínuo e Lugares da Arte.

PATRÍCIA DIAS MENDES
. Nota biográfica Advogada na PLMJ, Sociedade de Advogados, de 1998 até final de 2020. Nesse âmbito, assumiu igualmente o cargo de Diretora-Geral da Fundação PLMJ.
Actualmente, exerce advocacia primordialmente nas áreas de Corporate, Direito Comercial e Civil e M&A, Direito Imobiliário, Direito da Economia Social, Direito da Cultura, com especial enfoque em Direito da Arte, Filantropia e Private Clients e Direito da Comunicação Social. 
. Função Consultoria jurídica; Leciona Mercados da Arte.

PATRÍCIA SASPORTES
. Nota biográfica Lisboa, 1988. Licenciada em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica Portuguesa em 2011. Frequentou o Mestrado em Mercados da Arte, ISCTE. Atualmente a fazer o Doutoramento em História da Arte Contemporânea, FSCH-UNL (em pausa). Co-fundou a escola de arte Mart em 2013, onde ocupou o cargo de diretora até ao seu encerramento em 2021. Fundou a Base Escola de Arte em 2021.
. Função Direção e Coordenação pedagógica; Leciona Mercados da ArteLugares da Arte e Práticas Profissionais para Artistas. Tutora nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

PEDRO MIGUEL ARRIFANO
. Nota biográfica Doutorado em História da Arte Contemporânea e investigador do CHAM – Centro de Humanidades (CHAM – NOVA FCSH). Licenciado e Mestre em Filosofia nas áreas específicas de ética, estética e religião. Estudos Avançados do Ciclo de Estudos de Doutoramento no Domínio Científico: Ciências da Educação na área específica de Formação de adultos e supervisão e formação de professores na Universidade Nova de Lisboa. Participação em variados colóquios internacionais e nacionais ligados às temáticas da filosofia e da arte, bem como vários artigos publicados nessas mesmas áreas.
. Função Leciona Filosofia, Teoria da Arte e Estética: Séc. XIX/XXFilosofia, Teoria da Arte e Estética Contemporânea e Lugares da Arte.

PEDRO PROENÇA
. Nota biográfica Lubango (Angola), 1962. Licenciado em pintura pela ESBAL em 1986. Lecionou mestrados em Ilustração Artística no ISEC/Universidade de Évora entre2009/2012. É um dos fundadores do Movimento Homeostético. Expõe com regularidade desde 1981, tendo realizado mostras individuais e coletivas em importantes instituições nacionais e internacionais e recebido vários prémios. Paralelamente tem desenvolvido uma vasta obra como ilustrador e escritor.
. Função Leciona Laboratório de InvestigaçãoO Escritor Selvagem.

RODRIGO GOMES
. Nota biográfica Faro, 1991. Vive e trabalha em Lisboa.
Mestrado em Arte Multimédia na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (2016-2018), pós-graduação em Arte Sonora na Faculdade de Belas- Artes da Universidade de Lisboa (2015-2016), Licenciatura em Arte Multimédia com especificação em Escultura na Universidade de Évora (2012-2015).
Em 2017 foi vencedor do Prémio Sonae Media Art, em 2018 dos Prémios Novos na categoria de Artes Visuais e em 2020 recebeu o Black Raven Award. Em 2019 foi bolseiro à internacionalização pela Fundação Calouste Gulbenkian e recebeu uma distinção de mérito Jovem Revelação pelo Município de Silves.
. Função Leciona Vídeo Documental de Arte, Construção de um Arquivo Digital e Práticas Profissionais para Artistas.

RODRIGO GOMES
. Nota biográfica Faro, 1991. Vive e trabalha em Lisboa.
Destacam-se as suas participações no Alternative Film/Video Festival (Belgrado, Sérvia), Miami New Media Festival (EUA), Video Art Miden Festival (Grécia), Satellite Art Show em Brooklyn (EUA), na 18º Bienal de Media Art WRO em Wroclaw (Polónia) e no festival CosmiX III Incantation em Paris (FR). As exposições colectivas Depois do Estouro na Galeria Municipal do Porto (2019), Aspekt! Aspekt! no WRO Art Center (2019, Polónia), The New Art Fest na Sociedade Nacional de Belas Artes (2018), FUSO (2018), Prémio Sonae Media Art no MNAC (2017) e as exposições individuais Entre as Pedras há Verde na Ocupart (Lisboa, 2019), Mamografias por Satélite (Lisboa, 2019) e Como Depositar Imagens no Banco na Appleton [Box] (Lisboa, 2019).
Em 2017 foi vencedor do Prémio Sonae Media Art, em 2018 dos Prémio Novos na categoria de Artes Visuais e em 2020 recebeu o Black Raven Award. Em 2019 foi bolseiro à internacionalização pela Fundação Calouste Gulbenkian e recebeu uma distinção de mérito Jovem Revelação pelo Município de Silves.
. Função Leciona Vídeo Documental de Arte, Construção de um Arquivo Digital e Práticas Profissionais para Artistas.

Práticas Profissionais para Artistas segunda, 16h45/18h15

Mercados da Arte segunda, 18h30/20h

História da Arte terça, 18h30/20h

Lugares da Arte quarta, 15h/18h

Filosofia, Teoria da Arte e Estética quarta, 18h30/20h

Laboratório de Investigação quinta, 18h30/20h
( 2 dezembro / 24 fevereiro – 17h/18h30)

Atelier acesso livre 24h / 7 dias por semana

Início do ano letivo 13 Setembro 2021
Fim do ano letivo 29 Julho

 

Pausas Letivas
Férias do Natal 18 dezembro 2021 / 2 de janeiro 2022
Férias do Carnaval 28 fevereiro 2022 / 1 março 2022
Ferias da Páscoa 13 abril 2022 / 17 abril 2022

 

Feriados
Implantação da República terça, 5 outubro 2021
Dia de Todos os Santos segunda, 1 novembro 2021
Restauração da Independência quarta, 1 dezembro 2021
Dia da Imaculada Conceição quarta, 8 dezembro 2021
Natal sábado, 25 dezembro 2021
Dia de Ano Novo sábado, 1 janeiro 2022
Sexta-Feira Santa sexta, 15 abril 2022
Páscoa domingo, 17 abril 2022
Dia da Liberdade segunda, 25 abril 2022
Dia do Trabalhador domingo, 1 maio 2022
Dia de Portugal sexta, 10 junho 2022
Corpo de Deus quinta, 16 junho 2022

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA 1.0 PRESENCIAL

Mensalidade 375
Taxa de Inscrição 187,5
Seguro Escolar 5,50

 

RESIDÊNCIA ARTÍSTICA 1.0 ONLINE

Mensalidade 300
Taxa de Inscrição 150
Seguro Escolar 5,50

 

. A primeira mensalidade é paga juntamente com o seguro e a taxa de inscrição.
. Com o pagamento anual integral (presencial: 4130,50 / online: 3305,50) do curso no ato de inscrição, o aluno fica isento da taxa de inscrição.
. As mensalidades são pagas até ao dia 8 de cada mês. Após o dia 8 acresce 10% do valor da mensalidade.

NÚMERO DE VAGAS 10

CALENDÁRIO DA CANDIDATURA

1ª FASE

Prazo limite envio de candidatura 16 julho

Entrevistas presenciais 20 julho (10h30/17h)

Resultados finais 23 julho

Data limite de inscrição 30 julho

2ª FASE

Prazo limite envio de candidatura 1 setembro

Entrevistas presenciais 6 setembro (10h30/17h)

Resultados finais 8 setembro

Data limite de inscrição 10 setembro

 

Os artistas residentes são admitidos mediante entrevista e apresentação de portfólio.

Da candidatura deverá constar o programa da residência artística a que se propõe, um  portefólio (máximo 10 imagens), breve descritivo do trabalho apresentado, carta de motivação e currículo para o email coordenacaopedagogica@abaseescoladearte.pt.

Após apreciação da candidatura, será realizada a entrevista presencial com a coordenação pedagógica.

Os candidatos serão contactados por email.

 É obrigatória a utilização de máscara dentro das instalações da Base Escola de Arte e nos espaços comuns da EB 2/3 Manuel da Maia.

 É obrigatório desinfetar as mãos antes e depois de tocar em superfícies comuns como torneiras, interruptores ou puxadores usando, para esse efeito, o sabão azul e branco e os desinfetantes que se encontram em cada lavatório.

 Qualquer aluno que tenha os sintomas (febre, tosse ou dificuldade em respirar) ou tenha estado em contacto com alguém infetado com o vírus COVID 19 deve informar imediatamente o SNS através dos contactos abaixo e a direção Base Escola de Arte.

Medidas de prevenção recomendadas pelo Serviço Nacional de Saúde:

 Distanciamento social: manter distância de pelo menos um metro

 Evitar cumprimentos que impliquem contacto físico

 Etiqueta respiratória:
. tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir
. utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos
. deitar o lenço de papel no lixo
. lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir

 Reforçar as medidas de higiene:
. lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica
. evitar contacto próximo com doentes com infeções respiratórias

Contactos SNS 24

Se tem sintomas deve:
 Ligar para o SNS 24 – 808 24 24 24 e escolher a opção:
. 1 – se tem febre (temperatura ≥ 38.0ºC) ou tosse, e seguir as orientações dadas
. 2 – se apresentar outros sintomas sem ser febre ou tosse, e seguir as orientações dadas

 Evitar estar próximo de pessoas

Se não tem sintomas, mas esteve em contacto com alguém infetado:

 Deve contactar o SNS 24 através do 808 24 24 24 e escolher a opção 0 – ” Se não tem febre, nem tosse, nem qualquer outro sintoma, mas esteve perto de uma pessoa que tem COVID-19 ou que fez recentemente o teste” – e seguir as orientações que lhe são dadas.

Notas

 A Base Escola de Arte não se responsabiliza por qualquer situação de contágio que possa ocorrer.

 O seguro escolar apenas cobre acidentes pessoais ocorridos na escola e não doenças.