ACADEMIA DE DESENHO E PINTURA

A Academia de Desenho e Pintura destina-se a um público interessado numa formação global destas disciplinas, fornecendo os conhecimentos práticos e teóricos que permitem o desenvolvimento de um trabalho autoral critico e exigente. 

Este programa tem como principal objetivo a constituição de um portefólio, variado e personalizado, resultante do desenvolvimento autoral dos seus participantes. A sua frequência permite o conhecimento essencial quer do Desenho quer da Pintura e o domínio do vocabulário específico destas disciplinas.

O ensino do Desenho e da Pintura está interligado. Sem comprometer a autonomia de cada disciplina, exploraremos as relações e contaminações de ambos os modos de fazer ao longo da história e na atualidade. O programa da Academia de Desenho e Pintura interliga a aprendizagem formal e técnica com uma forte vertente teórica, consolidando o conhecimento teórico-prático destas disciplinas, com enfase nos vários temas que constituem a sua história moderna e contemporânea.

O programa completo da Academia de Desenho e Pintura é constituído por dois anos letivos, no final dos quais o aluno pode candidatar-se à frequência da Residência Artística 1.0 ou à Residência Artística 2.0.

Este programa é composto pelas seguintes disciplinas cujos programas podem ser consultados abaixo: Desenho e Pintura, Lugares da Arte, Laboratório de Investigação, História da Arte e Filosofia, Teoria da Arte e Estética. Os participantes têm acompanhamento tutorial ao longo do ano letivo. No final de cada ano letivo, será mostrada publicamente uma seleção dos trabalhos desenvolvidos ao longo da Academia.

As disciplinas que compõem a Academia de Desenho e Pintura serão lecionadas num regime misto, simultaneamente presencial e online (através da plataforma zoom). Na eventualidade de um confinamento, a frequência deste programa será apenas online.

O programa tem a duração de dois anos letivos e está estruturado cronologicamente por temas e questões da história do Desenho e Pintura. Cada tema explora questões, técnicas e utilização de materiais específicas.

Técnicas e Materiais
. Tintas de água aguarela, guache, acrílico, tinta da China
Relação figura fundo;
Técnica de claro escuro;
Como diversificar entre a mancha e a linha na modelação de um objeto, figura ou abstração;
Estabelecer campos de cor por contraste ou tonalmente;
Transparência e opacidade;
Uso adequado de médiuns;
Os vários comportamentos da tinta conforme a superfície e características do papel;
Características e uso adequado de pincéis com vários formatos ou cerdas;

. Riscadores pastel de óleo, pastel seco, carvão, sanguínea, aparo, grafite, lápis de cor, cera, marcadores, pontas de feltro, esferográficas, etc.

Figuração e escala (retrato, corpo inteiro e paisagem);
Proporção e relação de figuras num plano;
Características de inscrição ou mancha dos vários materiais;
Desenho de linha no contorno ou percurso de uma representação;
Várias velocidades de execução;
Caligrafia e automatismos.

. Tintas de óleo
Presença da cor;
Cores complementares;
Função das cores quentes e frias;
Velaturas e sobreposições;
Cor local e cor inventada;
Reação da tinta em várias superfícies distintas;
Uso adequado de médium e percentagens corretas (os vários diluentes, aglutinantes, médios de secagem rápida, retardantes, etc.);
Características e uso adequado de pincéis com vários formatos ou cerdas;
Compreender fundo ambiental ou ilusionístico;
A importância do gesto na execução da pintura e do seu ritmo;
Engradar e preparar telas.

PROGRAMA ANO I meados do século XIX até ao princípio do século XX.

Romantismo e a paisagem: William Turner e Caspar David Friedrich setembro 2021
Materiais aguarela, guache, papel para técnicas húmidas.
Incidindo no Romantismo, particularmente na representação da paisagem e no modo como William Turner e Caspar David Friedrich a utilizaram como tema fundamental na sua prática pictórica, iremos desafiar os participantes a produzir uma série de trabalhos, em que o movimento ou a estaticidade serão contemplados.

Romantismo e a figuração: Goya e Delacroix outubro 2021
Materiais tintas de óleo, guache, tela, papel.
Este curso aborda a figuração incidindo no percurso destes dois pintores, assim como no contexto que os envolvia. Os trabalhos produzidos têm como fim a exploração do cromatismo e construção da figura humana e animal.

Daumier e Corot novembro 2021
Materiais pastel de óleo, papel, tela.
A vivência da paisagem e a consciência da relação da pintura com o contexto envolvente, seja ele no plano social, ou simplesmente no plano da fruição da natureza. Exercícios variados de observação e composição.

O cotidiano e o ar do tempo, do ideal para o real dezembro 2021
Materiais carvão, guache, aguarela, tinta da China, papel.
Procuraremos observar tudo o que nos rodeia de forma objetiva e crua. Veremos também como o uso da escala pode interferir com o(s) tema(s) escolhidos e a sua mensagem.

A sombra colorida janeiro 2022
Materiais tintas de óleo, carvão, guache, tela, papel.
Tendo como referência a Belle Époque e o grupo Impressionista, exploraremos através do desenho e da pintura questões como: a urgência, o inacabado, a marca, a paisagem escolhida e a luz.

Paraísos Artificiais fevereiro 2022
Materiais tintas de óleo, carvão, pastel seco, guache, papel.
Apropriação de temas da pintura Simbolista: o Fantástico, o inconsciente, o sonho, anjos e demónios. Este curso explora a ligação subjetiva da poesia com a pintura, a ideia de vertigem, intoxicação e criação de espaços ambíguos.

Ukiyo-e e a Pintura março 2022
Materiais carvão, guache, pastéis de óleo, tinta da China, marcadores, papel.
Este curso explora a contaminação das artes gráficas na Pintura, nomeadamente, a xilogravura japonesa na obra de Vincent Van Gogh e as citações boémias de Paris na produção de Posters de Henri Toulouse-Lautrec. Exercícios sobre figura fundo, decoração e ritmo, síntese e mensagem.

O Monte de Santa Vitória abril 2022
Materiais tintas de óleo, guache, lápis, aguarela, tela, papel.
Como abrir, fraturar e modular a forma? Este curso estabelece a ligação entre a construção de naturezas mortas e paisagem. Veremos a importância que Cézanne deu aos espaços intocados da tela e aos espaços em branco nas suas inúmeras aguarelas.

O Bordel Filosófico maio 2022
Materiais tintas de óleo ou acrílico, guache, marcadores, pastéis de óleo, tela, papel.
As máscaras e o olhar, apropriação e magia
Exercícios a partir da produção de Picasso no início do século XX e a influência da arte “primitiva” na sua prática artística.

A cidade e as máquinas junho 2022
Materiais tintas de óleo ou acrílico, guache, marcadores, cola de madeira, x-ato, tesoura, revistas, jornais, tela, papel.
Através da observação de obras emblemáticas do Futurismo, Expressionismo e do Cubismo, veremos como a recolha e manipulação de imagens e objetos, passou a integrar as disciplinas do desenho e da pintura. Exercícios variados sobre acumulação e síntese, expressão e contenção.

Dadaísmo e surrealismo julho 2022
Materiais tintas de óleo ou acrílico, guache, marcadores, cola de madeira, x-ato, tesoura, revistas, jornais, tela, papel.
Exercícios de colagem e associação automática. Colaboração entre alunos na construção de vários trabalhos a várias mãos onde o acaso e o inesperado serão um fator comum.

PROGRAMA ANO II princípios do século XX até à atualidade.

O nariz de Picasso setembro 2022
Materiais tintas de óleo, pastel seco, pastel de óleo, carvão, tela, papel.
Começamos o ano com exercícios sobre a produção de Picasso entre 1907 até aos anos trinta, dos narizes torcidos às duplas faces, da vida na cidade às praias de Dinard. Os exercícios propostos incindem em questões de presença, magia, desejo e secretismo.

O quadrado preto outubro 2022
Materiais guache, grafite, tinta da china, cola em stick, cola de madeira, tela, papel.
Através de colagens e sobreposições de imagens procuraremos entender a ideia da pintura como abstração geométrica. Veremos também como a escala e o formato influenciam a linguagem das imagens em quadros, posters ou desenhos.

Naturezas mortas metafisicas, uma construção novembro 2022
Materiais tintas de óleo, carvão, aguarela, papel, tela.
Exercícios variados onde analisaremos a estrutura de naturezas mortas partindo de exemplos de obras de Giorgio de Chirico e Giorgio Morandi. Este curso explora a construção minuciosa do modelo e a sua observação, considerando: a luz, a contaminação de cor entre objetos próximos, a cor tonal na relação figura/fundo, o apagamento das linhas de contorno pela mancha. Exploraremos também o uso de uma iconografia bizarra e perspetivas impossíveis na criação de um ambiente onírico e misterioso.

A luz artificial e o modelo dezembro 2022
Materiais tintas de óleo, carvão, guache, aguarela, tinta da China, tela, papel.
Este curso explora a observação e encenação de um corpo no espaço; como a luz elétrica invade o gesto que descreve e modela a pele do modelo, como este se destaca ou mistura no ambiente e como a relação figura /fundo deforma ou altera o corpo desenhado. Serão dados exemplos de figuração de Francis Bacon, Lucien Freud, David Hockney e Frank Auerbach.
Nota inclui duas aulas de modelo nu.

A escala Americana janeiro 2023
Materiais tintas de óleo, acrílico, tinta da China, carvão, guache, papel, tela.
Através de exemplos da Escola de Nova Iorque e de trabalhos emblemáticos do Expressionismo Abstrato, faremos inúmeros exercícios de pequena escala mas com a ambição de se tornarem enormes, de uma escala desmesurada. Veremos também como a técnica e o material se manifestam na superfície da tela ou do papel, evidenciando o percurso de um corpo em performance.

A life lived, do Cartoon político aos emblemas do cotidiano fevereiro 2022
Materiais tintas de óleo, carvão, tinta da China, guache, papel, tela.
Este curso explora a observação do dia a dia e dos seus símbolos, bem como a maneira como a atualidade se imiscui na produção artística. Tendo por mote o regresso à figuração de Philip Guston nos anos 70, estabeleceremos relações entre poesia e pintura, autobiografia e caricatura.

Objetos visuais, coisas acopladas e trabalhos híbridos março 2023
Materiais carvão, guache, pastéis de óleo, marcadores, tinta acrílica, cola de madeira, jornais velhos e revistas, papel, tela.
Como juntar elementos tridimensionais, sonoros, ou outros, às disciplinas de desenho e pintura? Neste curso exploramos os temas de apropriação e colagem, o que é de ordem pessoal ou coletiva, através de múltiplos exercícios, tendo por mote a produção artística de autores como Jasper Johns, Rober, Rauschenberg, John Cage ou Merce Cunningham.

Máscaras de Graffiti e a Cidade como galeria abril 2023
Materiais tinta acrílica, guache, spray, pedaços de cartão, x-ato, cola de madeira, pastel de óleo, tela, papel.
Exercícios variados tendo por objetivo a construção de um conjunto de símbolos personalizados que se podem repetir em várias superfícies. Este curso explora a construção e realização de máscaras para graffiti e serigrafia, bem como o desenho como forma simples e direta de comunicação. Das repetições de Andy Warhol aos desenhos ritmados de Keith Harring, do Breakdance nas ruas às inscrições /poemas de Basquiat, veremos como a cidade pode ser uma galeria de arte.
Nota inclui uma sessão de serigrafia.

Palavras desenhadas Maio 2023
Materiais acrílico, guache, marcadores, pasteis de óleo, x-ato, cola de madeira ou em stick, sobre papel, cartão ou outros materiais reciclados como pedaços de madeira, plástico, embalagens, etc.
Partindo de exemplos de Cy Twombly, Bruce Nauman, Jenny Holzer, Ed Ruscha, entre outros, exploraremos a inscrição da palavra e texto na tela ou papel. Exercícios variados sobre a palavra como símbolo gráfico em vários suportes e escalas.
Nota inclui uma aula de serigrafia

Gerard Richter e Luc Tuymans junho 2023
Materiais tinta de óleo, guache, tela, papel.
Como se apropriam estes autores de várias fontes documentais na produção da sua obra? Exercícios de pintura a partir de imagens fotográficas, jornais, livros, documentários, filmes, livros, publicidade, etc.

Ranking julho 2023
Materiais tinta de óleo, tinta acrílica, guache, spray, marcadores, pastel de óleo, x-ato, cola de madeira, papel, caderno diário.
Neste mês de julho de encerramento do ano letivo, faremos exercícios com base em propostas dos próprios alunos, bem como de temas e artistas por eles escolhidos.

O meio artístico português, à imagem do meio internacional, é um ecossistema composto por vários setores culturais, económicos e financeiros que orbitam à volta da produção artística e se cruzam entre si numa escala global.

Nesta disciplina visitaremos galerias, museus, acervos, ateliers, entre outros espaços culturais. Estas visitas serão orientadas alternadamente pelos professores de Desenho e Pintura, Cerâmica, Mercados da Arte, História da Arte, Filosofia Teoria da Arte e Estética e Laboratório de Investigação.

Horário Quarta, 15h/18h

Professores Ana Natividade, André Almeida e Sousa, Carlos Ribeiro, Mariana Gomes, Miguel Meruje, Patrícia Sasportes e Pedro Arrifano

Programa teórico-prático onde são explorados temas e práticas artísticas através de exercícios e propostas de trabalho com uma forte componente experimental.

Quais os modelos e influências de que nos servimos e como o fazemos? Qual a relação da escrita com a prática artística e a produção de imagens e objetos?

O programa do Laboratório de Investigação está organizado por 4 módulos temáticos: a Construção de um Mapa Sentimental, o Escritor Selvagem, a Noite como o Dia e os Dias como Noite e Viagem ao Mundo dos Símbolos.

A frequência do Laboratório de Investigação pode ser presencial ou online (através da plataforma zoom).

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA SENTIMENTAL

(…) the map is as it was:
A diagram
Of how the world might look could we
Maintain a lasting,
Perfect distance from what is.

The Map, Mark Strand

Desenhando, escrevendo, compilando o nosso mapa sentimental, proponho que me acompanhem nesta série de sessões-passeio numa deambulação mais ou menos ficcionada a partir de exemplos recolhidos livremente em diversas disciplinas: Retórica; literatura; arte; arquitectura; cinema; etc.
Iremos olhar para eles com atenção. Trata-se de um exercício duplo: seguir um caminho traçado e afastarmo-nos dele, perdermo-nos para nos voltarmos a situar.

Que modelos de pensamento nos podem ajudar neste processo?

O mapa, a rede, a genealogia, a espiral, a constelação?

De que formas organizamos a nossa memória fora de nós? Quem trazemos connosco para o estúdio? Que acontecimentos guardamos e se tornam significativos no nosso trabalho? Como nos defendemos do que não nos é destinado?

PROFESSORA Ana Natividade
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 16 setembro / 25 novembro (11 aulas)

O ESCRITOR SELVAGEM

Porque escrevem tanto os artistas, e em particular os mais significativos? Porque querem fazer experiências com a língua e a escrita. Porque no fundo das palavras
há relações entre imagens e desenhos que são letras. Porque muitas vezes são convidados a ilustrar textos e também lhes apetece fazer.

Há assim uma vasta literatura de artistas que é olhada de soslaio, com desconfiança, porque deriva do prazer e questiona o lado vigilante e burocrático da escrita.
Que fazer com os textos explosivos de Picasso, as brincadeiras marotas de Duchamp, as narrativas descosidas de Max Ernst, as falas em bruto de Dubuffet, os elegantes
aforismos de Braque e as provocações de Picabia?

Este curso teórico-prático propõe a descoberta de um continente literário inconformista e exótico.
Os textos aqui abordados são um convite à prática da escrita, como quem desenha, molda, pinta, fotografa e filma.
De Eurípedes a Warhol, de Leonardo a Batarda, de Rosalba Carriera a Ana Jotta.

PROFESSOR Pedro Proença
HORÁRIO quinta, 17h00/18h30
DATAS 2 dezembro / 24 fevereiro (11 aulas)
FÉRIAS DO NATAL 18 dezembro 2021 / 2 de janeiro 2022

A NOITE COMO O DIA A E OS DIAS COMO NOITE

A frase que dá título a este workshop é uma tradução do título inglês Nights as day, days as night do livro Nuits sans nuit et quelques jours sans jour de Michel Leiris.

A referência surge no ensaio de Lydia Davis Found Material, Syntax, Brevity, and the Beauty of Awkward prose: Forms and Influences IV que nos servirá de fio condutor para trabalhar em algo semelhante ao que Lydia Davis chama de Dream Pieces. Relatos de sonhos.

Como se escreve ou se desenha um sonho? O que torna aborrecido o seu relato? Que qualidades e formas podem dar à nossa experiência acordada a aparência de um sonho?

Iremos ler Adília Lopes, Billy Collins, Mark Strand, Howard Nemerov, Sam Shepard, Lydia Davis, Russel Edson, Thomas Bernhard e Roland Topor .

E iremos trabalhar enquanto dormimos.

PROFESSORA Ana Natividade
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 3 março / 12 maio (10 aulas)
FÉRIAS DA PÁSCOA 13 abril 2022 / 17 abril 2022

VIAGEM AO MUNDO DOS SÍMBOLOS

Nestas aulas está prevista uma viagem ao mundo dos símbolos. Será esse o centro das nossas investigações.

Vamos mergulhar no nosso espaço interior, este curso pretende desenvolver capacidades de centramento e auto-cura através de histórias que se desenrolam a partir de símbolos precisos.

Esta investigação desenvolver-se-á por temas que serão anunciados em cada aula e apoiar-se-á em textos da Literatura, Psicanálise, Ocultismo, Filosofias e Religiões Orientais e Ocidentais, sendo sempre acompanhada de imagens que funcionarão como sinais interpretativos, estimulando a capacidade narrativa, interpretativa e imaginativa.

Esta viagem culminará num livro de símbolos (em jeito de diário de bordo) a ser construído individualmente por cada um dos participantes.

PROFESSORA Francisca Carvalho
HORÁRIO quinta, 18h30/20h
DATAS 19 maio / 28 julho (10 aulas)
FERIADO Corpo de Deus quinta, 16 junho 2022

ANO I

O primeiro ano de História de Arte foca-se no culminar das inovações técnicas que levam ao bem-pintar, influenciado pelo classicismo. Contudo, com esta vontade de retratar paisagens idílicas, surgem fissuras que questionam o alfabeto visual, ora restabelecendo valores antigos, ora promovendo novas vanguardas.
Com uma perspetiva abrangente e fresca, que promove ligações entre as artes visuais e os materiais de suporte da literatura, do teatro e da música, analisaremos os últimos duzentos anos, mantendo em vista o porvir e os seus antecedentes.
O ciclo de estudos termina com o impacto da Primeira Guerra Mundial na criação do artista deslocado da Europa — das trincheiras para um novo continente que se abre e onde reformula o mercado da arte com novos intervenientes, sob as ideias mais disruptivas que se mantém fascinantes na atualidade.

PROGRAMA 
A Paisagem Apocalíptica
Romantismo na Europa e os Sonhos em Tela
Gericault e Delacroix: Mito e Identidade
Sublime Memória da Aura
A Luz em Viagem
O Centro da Europa e as Diferentes Escalas
Impressões e Imitações das Emoções
O Nevoeiro e o Desaparecimento
O Espelho e a Verdade
A Abertura do Deserto
A Origem da Pintura e a Reprodução
Pre-História do Nosso Moderno
O Atlântico Que Levou a Arte em Exílio
Da Paisagem Exterior Para A Nova Paisagem Interior da Humanidade
A Perversão Surrealista e o Pesadelo no Pensamento

ANO II

A narrativa do segundo ano de História de Arte começa com uma introdução ao modernismo e conclui-se com a problematização do espectador e da audiência dentro das galerias Cubo Branco. Com a intenção de pensar numa cena artística à escala global, traremos visibilidade à contemporaneidade recorrendo a exemplos visuais e teóricos. Desde o período entre-guerras que leva a uma democratização da arte moderna até aos irrealizáveis que afinal se materializam, pensaremos visualmente a produção da modernidade até às sínteses que resultaram nos movimentos do século passado e os seus desenvolvimentos contemporâneos.
A produção artística invocada é multi, intra e transdisciplinar, um território que serve de pretexto para lidarmos com a observação e recepção para caracterizar, reflectir e promover a filosofia da arte por trás das obras interpretadas, reforçando o aluno de uma atitude crítica, que os torne parte do diálogo artístico, enquanto parte activa da sua estrutura.

PROGRAMA 
O Quadrado Negro e os Monocromáticos
O Fim da Arte Sem Forma
Suprematismo do De Stijl e Cor da Bauhaus
Silêncio e Vazio
Rothko & Pollock
Sobre o Minimalismo
As Ruas e a Pop Art
O Espectador
Arte Conceptual
Cubo Branco e Caixas de Vidro
Invisibilidades e Visões do Vazio
Arte Contemporânea e Luz
Da Video Art à Land Art
Arte Imersiva
A Forma Artística: Do Vazio Mínimo à Luz Total

Ano I de Kant ao século XX

Em cada obra de arte existe uma ideia que a define num nível acima do visual, a saber, uma espécie de empirismo superior. Filósofos, críticos, artistas e amantes da arte há muito tentam definir essas ideias alimentando muitas discussões e abrindo espaço para a teoria da arte e a estética. Este é o campo onde as questões mais fundamentais da arte estão em constante debate: O que é arte e qual a sua importância ou utilidade? Como identificar uma obra de arte como tal? O que é a beleza? As obras de arte devem ser sempre belas? Pensar sobre a arte desta forma permite-nos colocá-la numa estrutura conceptual mais ampla, na qual participam outras disciplinas.
Durante o primeiro ano do curso partiremos do século XVIII com o pensamento de Kant rumo ao princípio do século XX utilizando obras de artistas como forma de explorar as questões fundamentais da arte. Cada aula envolve um conjunto de imagens e de textos que os alunos serão solicitados a ler antes de cada sessão, sendo incentivada a discussão ao longo do ano. Nenhuma experiência anterior é exigida, mas alguma dedicação à leitura e anotações é necessária. 

Programa
O momento Kantiano: o sujeito da reflexão
O momento Hegeliano: o sujeito absoluto/ o fim da arte
O nascimento da estética moderna
Entre nostalgia e modernidade
O momento da Revolução romântica: Novalis, Goethe, Holderline, Schiller
O momento Nietzschiano: o sujeito fragmentado e a revalorização da estética
A influência de Schopenhauer
Tragédia e niilismo
O classicismo de Freud
“Gradiva”
As rupturas
O declínio da tradição
Baudelaire e a modernidade
Modernidade e Vanguarda
A teoria estética e as vanguardas
Prelúdios para as mudanças do século XX

Ano II da pós-modernidade ao ocaso da estética?

A área da História da Arte e da Teoria da Arte concentra-se no estudo teórico de uma ampla gama de fenómenos relacionados com a estética e com a arte.
No segundo ano do curso será dado seguimento ao anterior. Seguindo uma linha diacrónica partiremos da escola de Frankfurt e da sua importância na mudança política da Estética e percorreremos vários autores contemporâneos ilustrando o seu pensamento com as obras de muitos artistas. A teoria da cultura dos media, a teoria da arte dos media, a teoria da Arte Contemporânea, a estética e os estudos de arte comparados, o Existencialismo, a Fenomenologia e a Diferença no domínio da estética serão abordados no decorrer das aulas. Pretende-se que no final deste ano o aluno tenha aprendido a aplicar a teoria artística e estética à prática e a desenvolver o método filosófico e a argumentação.

Programa
A mudança política da Estética/Escola de Frankfurt
Georg Lukács e a questão do realismo
Walter Benjamin e a experiência estética
Herbert Marcuse: eros e cultura
T. W. Adorno: uma estética da modernidade
Estética e comunicação: Jürgen Habermas
O momento do Existencialismo e os seus desenvolvimentos: Heidegger, Lyotard, Gadamer
O momento da fenomenologia estética: Maurice Merleau-Ponty e Henri Maldiney
O momento da estética da diferença: Derrida e Gilles Deleuze
O momento do hoje: Agamben, Byung-Chul Han, Zizek, Didi-Hubermann, Paul Virilio, Gilles Lipovetsky

ANA NATIVIDADE
. Nota biográfica Lisboa, 1971. Arquitecta (FAUTL, 1997). Concluiu Mestrado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea (parte curricular), na FLUL, e participou como bolseira no programa LITEVA, Literary Text in the Visual Age, na Faculty of Arts, University College Groningen, Holanda. Foi Docente de Literatura Portuguesa na Università degli Studi di Roma Tor Vergata. Estudou Gravura com João Pedro Cochofel na Galeria Diferença; Desenho e Pintura na SNBA, no Ar.Co e na MArt. Expõe regularmente desde 2013. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Responsável pelo departamento de Gravura. Leciona Laboratório de Investigação, A Noite como o Dia e os Dias como Noite,  A Construção de um Mapa Sentimental e Lugares da Arte.

ANDRÉ ALMEIDA E SOUSA
. Nota biográfica São Miguel, Açores. 1974. Gerrit Rietveld Academie de Amesterdão, 1998; Curso Avançado, ar.co, Lisboa, 2001. Expõe regularmente desde 2001. Está representado, entre outras: coleção Ariane de Rothschild, Governo Regional dos Açores, Fundação Calouste Gulbenkian. Fundou a Base Escola de Arte em 2021.
. Função Direção e Coordenação pedagógica; Leciona Academia de Desenho e Pintura, Curso de Desenho e Pintura, Mini Cursos de Desenho e Pintura e Lugares da Arte. Tutor nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

FRANCISCA CARVALHO
. Nota biográfica Coimbra,1981. Vive e trabalha em Lisboa. Curso Avançado de Artes Plásticas no Ar.Co, de Filosofia na FCSH da Universidade Nova de Lisboa, mestrado em Artes Visuais na Maryland Institute College of Arts ao abrigo da bolsa Fundação Carmona e Costa/Fulbright e de Artes Visuais do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística. Expõe regularmente desde 2005. Tem desenvolvido o seu trabalho nas áreas de desenho e pintura. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Leciona Laboratório de Investigação, Viagem ao Mundo dos Símbolos e Lugares da Arte.

MARIANA GOMES
. Nota biográfica Faro, 1983. Formada em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, expõe regularmente desde 2011. O trabalho de Mariana Gomes encontra-se representado em várias coleções privadas e públicas como a coleção de Arte Contemporânea da Fundação EDP, a coleção Moderna do Museu Calouste Gulbenkian, Fundação Carmona e Costa e coleção PLMJ. Integra o Conselho de Fundadores da Base Escola de Arte.
. Função Leciona Academia de Desenho e Pintura, Curso de Desenho e Pintura, Mini Cursos de Desenho e Pintura e Lugares da Arte. Tutora nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

MIGUEL MERÚJE
. Nota biográfica Completou um doutoramento Europeu em História de Arte com uma tese sobre o silêncio e o vazio. Investigador externo na Université Paris-Sorbonne (Paris IV), completou um MA no Sotheby’s Institute London/University of Manchester com uma dissertação sobre a Bauhaus e graus da University of the Arts London.
Tendo feito parte do departamento de educação da Tate Modern/Tate Britain, mantém uma participação regular em diversas disciplinas académicas e criativas, colaborando com museus, feiras e galerias globais como o Victoria & Albert Museum, Saatchi Gallery, Frieze Art Fair/Frieze Masters e revistas como Wallpaper e Arkitip. É membro integrado do grupo de investigação CASt (Contemporary Art Studies) do Instituto de História da Arte – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas – Universidade Nova de Lisboa.
. Função Leciona História da Arte Clássica: O Tempo da Pintura, História da Arte Moderna: A Época das Vanguardas, História da Arte Contemporânea: o Ano Zero Contínuo e Lugares da Arte.

PATRÍCIA SASPORTES
. Nota biográfica Lisboa, 1988. Licenciada em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica Portuguesa em 2011. Frequentou o Mestrado em Mercados da Arte, ISCTE. Atualmente a fazer o Doutoramento em História da Arte Contemporânea, FSCH-UNL (em pausa). Co-fundou a escola de arte Mart em 2013, onde ocupou o cargo de diretora até ao seu encerramento em 2021. Fundou a Base Escola de Arte em 2021.
. Função Direção e Coordenação pedagógica; Leciona Mercados da Arte, Lugares da Arte e Práticas Profissionais para Artistas. Tutora nos programas  Residência Artística 1.0 – Profissionalizante e Residência Artística 2.0 – Prática.

PEDRO MIGUEL ARRIFANO
. Nota biográfica Doutorado em História da Arte Contemporânea e investigador do CHAM – Centro de Humanidades (CHAM – NOVA FCSH). Licenciado e Mestre em Filosofia nas áreas específicas de ética, estética e religião. Estudos Avançados do Ciclo de Estudos de Doutoramento no Domínio Científico: Ciências da Educação na área específica de Formação de adultos e supervisão e formação de professores na Universidade Nova de Lisboa. Participação em variados colóquios internacionais e nacionais ligados às temáticas da filosofia e da arte, bem como vários artigos publicados nessas mesmas áreas.
. Função Leciona Filosofia, Teoria da Arte e Estética: Séc. XIX/XX, Filosofia, Teoria da Arte e Estética Contemporânea e Lugares da Arte.

PEDRO PROENÇA
. Nota biográfica Lubango (Angola), 1962. Licenciado em pintura pela ESBAL em 1986. Lecionou mestrados em Ilustração Artística no ISEC/Universidade de Évora entre2009/2012. É um dos fundadores do Movimento Homeostético. Expõe com regularidade desde 1981, tendo realizado mostras individuais e coletivas em importantes instituições nacionais e internacionais e recebido vários prémios. Paralelamente tem desenvolvido uma vasta obra como ilustrador e escritor.
. Função Leciona Laboratório de InvestigaçãoO Escritor Selvagem.

Desenho e Pintura terça e quarta, 10h30/13h 

Filosofia, Teoria da Arte e Estética terça, 18h30/20h

Lugares da Arte quarta, 15h/18h

História da Arte quarta, 18h30/20h

Laboratório de Investigação quinta, 18h30/20h
( 2 dezembro / 24 fevereiro – 17h/18h30)

Início do ano letivo 13 Setembro 2021
Fim do ano letivo 29 Julho

Pausas Letivas
Férias do Natal 18 dezembro 2021 / 2 de janeiro 2022
Férias do Carnaval 28 fevereiro 2022 / 1 março 2022
Ferias da Páscoa 13 abril 2022 / 17 abril 2022

Feriados
Implantação da República terça, 5 outubro 2021
Dia de Todos os Santos segunda, 1 novembro 2021
Restauração da Independência quarta, 1 dezembro 2021
Dia da Imaculada Conceição quarta, 8 dezembro 2021
Natal sábado, 25 dezembro 2021
Dia de Ano Novo sábado, 1 janeiro 2022
Sexta-Feira Santa sexta, 15 abril 2022
Páscoa domingo, 17 abril 2022
Dia da Liberdade segunda, 25 abril 2022
Dia do Trabalhador domingo, 1 maio 2022
Dia de Portugal sexta, 10 junho 2022
Corpo de Deus quinta, 16 junho 2022

Mensalidade 375
Taxa de Inscrição 187,5
Seguro Escolar 5,50

. A primeira mensalidade é paga juntamente com o seguro e a taxa de inscrição.
. Com o pagamento anual integral (4130,50) no ato da inscrição, o aluno fica isento da taxa de inscrição.
. As mensalidades são pagas até ao dia 8 de cada mês. Após o dia 8 acresce 10% do valor da mensalidade.

 É obrigatória a utilização de máscara dentro das instalações da Base Escola de Arte e nos espaços comuns da EB 2/3 Manuel da Maia.

 É obrigatório desinfetar as mãos antes e depois de tocar em superfícies comuns como torneiras, interruptores ou puxadores usando, para esse efeito, o sabão azul e branco e os desinfetantes que se encontram em cada lavatório.

 Qualquer aluno que tenha os sintomas (febre, tosse ou dificuldade em respirar) ou tenha estado em contacto com alguém infetado com o vírus COVID 19 deve informar imediatamente o SNS através dos contactos abaixo e a direção Base Escola de Arte.

Medidas de prevenção recomendadas pelo Serviço Nacional de Saúde:

 Distanciamento social: manter distância de pelo menos um metro

 Evitar cumprimentos que impliquem contacto físico

 Etiqueta respiratória:
. tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir
. utilizar um lenço de papel ou o braço, nunca com as mãos
. deitar o lenço de papel no lixo
. lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir

 Reforçar as medidas de higiene:
. lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução de base alcoólica
. evitar contacto próximo com doentes com infeções respiratórias

Contactos SNS 24

Se tem sintomas deve:
 Ligar para o SNS 24 – 808 24 24 24 e escolher a opção:
. 1 – se tem febre (temperatura ≥ 38.0ºC) ou tosse, e seguir as orientações dadas
. 2 – se apresentar outros sintomas sem ser febre ou tosse, e seguir as orientações dadas

 Evitar estar próximo de pessoas

Se não tem sintomas, mas esteve em contacto com alguém infetado:

 Deve contactar o SNS 24 através do 808 24 24 24 e escolher a opção 0 – ” Se não tem febre, nem tosse, nem qualquer outro sintoma, mas esteve perto de uma pessoa que tem COVID-19 ou que fez recentemente o teste” – e seguir as orientações que lhe são dadas.

Notas

 A Base Escola de Arte não se responsabiliza por qualquer situação de contágio que possa ocorrer.

 O seguro escolar apenas cobre acidentes pessoais ocorridos na escola e não doenças.